terça-feira, 5 de agosto de 2014

qualquer coisa que funcione


O fato de eu não fazer resoluções de ano novo não quer dizer que não pense nas coisas que desejo para o futuro. Eu me lembro de estar com os pés na areia na virada do ano, cercada de gente que eu não conhecia ou que no máximo conhecera havia pouco tempo, olhando os fogos de artifício que até então só tinham povoado televisões ao meu redor. Lembro de ter me perguntado se a vida podia ser sempre assim, uma aventura meio mágica, ou se era um privilégio dos meus vinte-e-poucos; se, no futuro longínquo, me tornaria uma dessas pessoas que do outro lado da ponte se acotovelava entre desconhecidos e entes impostamente queridos e que carregam um certo peso de frustração. A maré começou a subir e os fogos iam parando aos poucos. O samba voltou a ser tocado.



Eu esperava que 2014 pudesse ser diferente de 2013, que, apesar de ter sido um ano muito bom, foi extremamente caótico. Pensei que seria bacana conseguir desacelerar a vida, arranjar um emprego de que eu gostasse e ter a sorte de um amor tranquilo. Não sei se é apesar de ou justamente por ter cursado História que minha forma de lidar com o tempo é tão confusa. Só me dei conta de que 2014 se aproximava de sua segunda metade pela materialidade da agenda que já abre mais fácil de trás para frente. Foi perceber essa passagem do tempo, daquela noite estrelada depois da última chuva do ano, de tudo o que parecia distante de ser alcançado, que houve a reviravolta.


E de repente eu me vi no Tanabata Matsuri, o Festival das Estrelas que acontece na Liberdade, sem saber o que escrever no papelzim em que as pessoas escrevem seus pedidos. Foi daí que resultou o mais sincero "whatever works" já proferido.


4 comentários:

  1. Me atrevo a dizer que quando a gente não ve o tempo passar é porque grande parte do tempo estamos ocupadas, fazendo as coisas funcionarem mesmo que talvez seja a parte mais burocrática primeiro pra depois começarmos a ver os sonhos, desejos ou até o que não sabíamos que queríamos se realizando. Faz parte da vida, faz parte do tempo, mas o importante é tentar levar um dia a dia bonito, cheio de cores e gostoso. Deu pra ver que você consegue isso, pelo menos ocasionalmente, pelas fotos. :))

    http://www.paleseptember.com

    ResponderExcluir
  2. faz tanto tempo que minha principal resolução é a mesma, que parece que desde 2012 não tenho um ano novo (desculpa compartilhar amargura).

    que fotos lindas. como eu amo a liberdade e suas cores e pessoas.

    torço para que seu whatever really works. <3

    ResponderExcluir
  3. Fui na festa das estrelas também. Minhas fotos não ficaram tão bonitas quanto as suas.

    Esse ano passou voando. Eu fiz uma séria de resoluções no ano novo e consegui cumprir poucos deles, mas a vida tá andando. Tomara que as estrelas tragam seu desejo, para todos nós.

    ResponderExcluir