domingo, 2 de fevereiro de 2014

domingo no parque



"Como é que o senhor, eu, os restantes próximos, somos, no visível? O senhor dirá: as fotografias o comprovam. Respondo: que, além de prevalecerem para as lentes das máquinas objeções análogas, seus resultados apóiam antes que desmentem a minha tese, tanto revelam superporem-se aos dados iconográficos os índices do misterioso. Ainda que tirados do imediato um após outro, os retratos sempre serão entre si muito diferentes. Se nunca atentou nisso, é porque vivemos, de modo incorrigível, distraídos das coisas mais importantes."
Trecho de O espelho, conto de João Guimarães Rosa, publicado no livro Primeiras estórias.

vivs

dasboa

pé no chão

Uma tarde de verão, um pilequinho mineiro, uma boa amiga e umas fotos antes da tempestade.

4 comentários:

  1. Ah, aquela tempestade!
    Quem diria que minutos depois eu ouviria que "tá todo o mundo se molhando,quando cê tiver um marido ele paga o taxi pra você", etc.

    Hoje o céu estava bem colorido e iluminado, daquele jeito que a gente conversou naquela quarta.

    Sempre bonitas suas fotos, Babi.

    (AHHHH, FELIZ ANO NOVO CHINÊS!)

    ResponderExcluir
  2. A fotografia tem essa capacidade de captar os detalhes, que é uma coisa linda. Adorei o teu dia no parque, mesmo com ameaça de tempestade.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Lindíssimo trecho de Guimarães Rosa <33 Fotos como sempre de muito bom gosto.

    ResponderExcluir