quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

ausência presente

absent

Após cem dias de internação no hospital, meu avô - com quem eu morava - morreu nessa semana. Evidentemente, não há muito o que dizer e, como de costume, tento tratar da tristeza com alguma forma de beleza.

É nos resquícios materiais de sua presença que sua ausência tem sido evidenciada. Assim como acontece com tudo que ocupa o tempo e o espaço.

absent

10 comentários:

  1. Já conversamos sobre isso, mas nunca é demais reforçar que te abraço em pensamento.
    "Tento tratar da tristeza com alguma forma de beleza" Essa é você sempre, Babi. Te amo, amiga.

    ResponderExcluir
  2. tratar a tristeza, falar da tristeza, sempre uma grande dificuldade (pelo menos para mim com relação aos outros).

    enfim, me lembrei de um livro infantil [para onde vamos quando desaparecemos?] que li esse mês, para um trabalho:

    "a maior parte das vezes, não vamos longe... estávamos mesmo ali ao virar da esquina. às vezes escondidos, de olhos muito abertos, às vezes só desejando ser descobertos".

    ResponderExcluir
  3. Eu não sou dessas pessoas que sabem exatamente o que falar nessas situações. Como você bem viu no momento em que me contou, eu não falo, porque acho que palavras dificilmente preenchem o vazio daquele momento.
    Na manhã da véspera de Natal, acordei com outra notícia, tão triste quanto aquela do sábado. Hoje, fomos visitar a família, e mais uma vez, não sabia o que dizer.
    Mas ao sair, a comadre da minha mãe (e cunhada do jovem morto na manhã da véspera) falou "foi ótimo vocês virem aqui, nos distraíram, nos fizeram dar risada, pensar em outras coisas, nos deixaram um pouco mais leves". E pensei nisso, e lembrei do sábado, de você sorrindo mesmo depois daquilo, comigo falando bobagem e sendo loucona. Eu não sei nunca o que falar, mas pode contar comigo sempre que precisar de um sorriso nos lábios e um pouco menos de carga nos ombros. Eu estarei sempre pronta <3

    ResponderExcluir
  4. Conheci seu blog ontem. E fiquei encantada com tudo que vejo por aqui... Me entristeço por sua perda, nem consigo imaginar como reagiria se meu avô (que também mora comigo) padecesse. Eu nunca sei o que falar em momentos ruins... Então, é melhor eu ficar quieta. E te desejar sorte em mais essa etapa da vida... Perder alguém sempre é realmente trágico.

    ResponderExcluir
  5. Quando perdemos alguém ninguém mais entende o que estamos sentido, o que vivemos com essa pessoa e o vazio que essa pessoa deixa pra sempre.

    Eu sinto muito pela sua perda. Não acho que ninguém merece um final de ano assim, ainda mais, quando você é tão próxima dessa pessoa. Espero que você fique bem logo.

    ResponderExcluir
  6. Puxa, Barbara... que coisa triste! Também perdi meu avô no ano passado! "/

    Mas... o que a gente pode fazer? Também sou assim, de buscar a beleza na dor!

    Bom, estou passando pra te desejar um ótimo fim de ano, e mande um abraço apertado pra toda sua família! Que 2013 venha cheio de coisas boas pra vocês!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  7. Como sempre a arte nos salva. Sempre haverá beleza no tema tristeza e que pena que esse tema esteja com você dessa vez. Não sabia da notícia, não vim no seu blog por esses dias e espero, verdadeiramente, que tudo esteja mais leve pra você numa fase como essa.

    Dizer algo é complicado num momento de tanto sentimento como esse, mas espero que mesmo te conhecendo quase nada e só vendo sua vida pela janelinha do seu blog e pela janela escancarada que é sua fotografia me prontifico a conversar e ajudar nem que seja falando sobre cactus (!!)

    Sem saber te mandei um presentinho pelo instagram/twitter e espero que tenha deixado um sorriso :)

    Beijos e até todo ano 2013!

    ResponderExcluir
  8. Também perdi meu avô, em novembro :/
    Eu odiava suco de laranja e nunca soube explicar porque. Quando ele faleceu, lembrei que quando criança chupava laranja com ele, mas ele amava laranja e chupava muitas, e eu chupava mais, mesmo sem querer só pra "acompanhá-lo", acabei enjoando.
    Hoje voltei a tomar suco de laranja, porque me faz lembrar dele feliz (não doentinho como nos últimos dias). Dói, mas faz bem! Como você disse "tratar da tristeza com alguma forma de beleza".

    Força! :*

    ResponderExcluir
  9. Puxa, que triste :(

    Espero de coração que você encontre a beleza na dor ... Fica bem, de verdade *-*

    Feliz 2013 ♥

    ResponderExcluir