quarta-feira, 16 de maio de 2012

mais óleo do que vinho

Uma visão de mundo em que não existe graça nem desgraça. Em que tudo é só uma possibilidade probabilística. É assim que considero a minha existência; um fato ruim é um passo em falso no acaso, e uma coisa boa obedece a mesma lógica. Estudando História, tenho razões pra supor que há uma probabilidade grande em ser um equívoco uma invasão à Rússia no inverno, bem como é possível, embora altamente improvável, que uma armada chamada invencível, seja derrotada por uma tempestade antes de entrar em confronto com o exército oponente. A probabilidade da semana, porém, é muito mais cotidiana e não fará o mundo nem melhor, nem pior. Pelos meus cálculos, a chance de uma pessoa (chamaremos esse indivíduo hipotético de "eu") precisar apresentar dois seminários na mesma semana é de aproximadamente uma em 196. Bingo!


Entre uma falta de sorte e outra, encontrei para download um livro de emblemas do século XVI digitalizado pela Universidade de Illinois (um beijo pra eles) de Cesare Ripa. O livro com gravuras é uma iconologia que servia para os artistas da época saberem como formar em suas obras o discurso de acordo com os padrões clássicos. Olhando as páginas no aleatório, encontrei o emblema de Estudo, isto é, a gravura e a explicação para os elementos que a compõe. Segundo Cesare Ripa, então, meu autorretrato mais fiel destes dias deveria ser assim:
A Juventude, com um semblante pálido, com uma roupagem modesta; virada para baixo, a mão esquerda em um livro, estando aberto, no qual está muito atenta, uma caneta na mão direita, uma lâmpada, e um galo, em cada lado.
Palidez denota estar definhando; a sua pose, sua vida sedentária; seu ser intenta mostrar o estudo como uma grande aplicação da mente; a Caneta, seu desejo de deixar algo para trás para fazê-lo ser lembrado por outros; a Lâmpada, que os alunos gastam mais em óleo, do que em vinho. O Galo, Vigilância.

5 comentários:

  1. Sensacional Babi. Essa descrição incrível me deixou curiosa com os demais verbetes do livro. Fora que essa figura do galo é tããão surreal e interessante. Fiquei intrigada mesmo!

    ResponderExcluir
  2. E o galo canta toda manhã, bem cedinho...
    Melhor ele que o funksemnoção do vizinho...ou os balões nada ecológicos que voam em direção à floresta da tijuca..

    que a força esteja com você Babi...beijão

    ResponderExcluir
  3. Babi
    tô esperando seu primeiro romance há 4 anos (o tempo que a leio)
    faz favor de arrumar tempo...
    somos seus fãs...qdo crescer quero escrever assim

    bjo

    ResponderExcluir
  4. sua lucidez é algo que todos deveriam ter
    :o)

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu blog!
    se quiser acompanhar o meu, posts com fotografia e minhas viagens. Fique a vontade :)
    www.hibouavenue.com
    Beijos Danni.

    ResponderExcluir