quinta-feira, 13 de outubro de 2011

a gente quer inteiro e não pela metade

De todos os milhões de frases que a literatura mundial produz por minuto, só uma até o momento tem aplicabilidade imediata e duradoura na minha vida:
"Domingo ela acordava mais cedo para ficar mais tempo sem fazer nada"
De todas as diferenças que tenho com Macabea, essa é a nossa principal semelhança. Aos domingos, gosto de pensar que acordei cedo por ser o dia que é. A considerar que estamos no mundo das obrigações (em que pelo menos cinco dias da semana são resguardados para elas), acho que as coisas que faço no domingo sem qualquer necessidade que não seja a coisa em si, é como fazer nada. Um fazer nada ideal. Aos domingos, pessoas sofrem de angústias pelas segundas que se aproximam. Os dois agravantes são as tiras do Garfield e a programação da tevê. Discordo da tese central dos quadrinhos do gato laranja: segundas-feiras são menos problemáticas do que as quartas. Quarta-feira. Esse dia incrustrado na semana, tão no meio do caminho quanto a pedra do Drummond.

Nos últimos domingos fiz coisas muito importantes sem que eu fosse obrigada a fazê-las.

Estas fotos foram tiradas nas pistas que ficam no Parque Zilda Natel, na avenida Doutor Arnaldo. A última é da Avenida Sumaré segura para os ciclistas, estando vazia de carros, por causa da Virada Esportiva que acontecia ali.




balance

small people doing big things

sk8r

quantas vidas


Num outro domingo, Shin me chamou para conhecermos o Museu Lasar Segall. O lugar é uma delícia, o acervo é lindo, e a exposição temporária era sobre livros, parcialmente tocáveis. O Segall não é o modernista mais famoso das nossas artes plásticas e eu mesma conhecia muito pouco de suas obras. O museu fora sua casa e tem projeto modernista também. Do lado oposto da rua fica a vila modernista. Cariocas e paulistas que gostam de rivalizar (e não têm nada melhor pra fazer), sustentam a discussão de qual cidade teria sido a precursora brasileira do movimento modernista. Os que acham que o prédio do Ministério da Educação no Rio de Janeiro foi o primeiro projeto, deixam de lado os projetos privados das casas particulares em São Paulo.





E nesse domingo, foi um dia de dois shows e alguma chuva (tendência essa chuva que vem de feriado e fim-de-semana). De manhã, nos molhamos eu e o Caio vendo a passagem de som da Orquestra Arte Viva com Mariana Aydar e Arnaldo Antunes. Depois, nos secamos vendo o show com a Brunna. Na hora de ir embora, mais um tanto de chuva e piquenique embaixo duma marquise de um prédio residencial.



comida, diversão & arte



Do Ibirapuera fomos para a Igreja Ortodoxa no Paraíso (o trocadilho fica por sua conta!). O Coral da Cidade de São Paulo apresentou uma peça de José Maurício, principal compositor da época do Brasil colônia. Quem nos convidou foi o Caio, amigo do Caio, amizade com xarás, por que não? Enquanto a abstração chegava - típico de quando vou a show de música clássica ou instrumental, comecei a reparar nas pinturas da igreja. Nunca tinha entrado lá e é bastante imponente. Na cúpula central, a maior, há uma inscrição em árabe, porque, de acordo com o que foi dito ao fim da apresentação, a igreja foi construída pela comunidade sírio-libanesa em São Paulo.




8 comentários:

  1. essas delicadezas de sampa que quase a tornam uma cidadezinha charmosa aos domingos, pra rivalizar com o concretão cinza do cotidiano.

    ResponderExcluir
  2. Coisa mais linda essa igreja!

    Realmente, domingo tem essa liberdade que os outros dias não. Detesto ser obrigada a fazer alguma coisa, e no resto da semana claro que sou, é uma obrigação atrás da outra, mas domingo não e mesmo não sendo obrigada, acabo fazendo coisas importantes também... e erm, dormindo muito quando está frio na rua! ;)

    ResponderExcluir
  3. minha frase preferida de macabea é quando ela encontra um x qualquer, um cara bonito nem lembro mais onde.

    e aí o autor no diz q macabea olhou pro cara e acho ele tão gato que gaguejou em pensamento.

    demais.

    ResponderExcluir
  4. eu não me canso de ver suas fotos! :)

    ResponderExcluir
  5. É por essas (e tantas outras) que vire e mexe eu tenho vontade de fazer uma malinha e ir para São Paulo. Ficar por aí nem que seja um tempinho, só curtindo minha semana de eternos domingos em que acordo mais cedo pra fazer um nada tão bonito.
    ;*

    ResponderExcluir
  6. Babi, sou estudando de moda e estou fazer um trabalho pra faculdade sobre tribos, mais especificamente skatistas. Queria usar suas fotos na minha apresentação de power point, posso? É um trabalho pequeno, apresentação na turma mesmo, e botarei o crédito com seu blog, claro! Mas queria sua autorização, me responde quando der(paula_gmraes@hotmail.om)! Brigada e parabéns pelo blog, é lindo! :))

    ResponderExcluir
  7. bonito, bonito, mas... sério mesmo que você não gosta das quartas-feiras? ):

    ResponderExcluir
  8. nesse semestre tenho um motivo para gostar das quartas-feiras: ver duas amigas queridas. fora isso, o peso do dia é tão maior que eu.

    ResponderExcluir