quarta-feira, 10 de agosto de 2011

poucas e boas

Na época das minhas primeiras câmeras, quando eu tinha uns 16, 17 anos, tirava foto como se isso garantisse a minha existência. Precisava fotografar os lugares aonde ia, meus amigos, minha escola. E cada imagem vinha com uma idéia implícita de que, se eu não fotografei, eu não vivi. Grande parte dessas fotografias jazem nos cds de back-up que fui acumulando, e poucas vezes revivendo. Não sei se por falta de tempo ou por uma série de mudanças, a fotografia foi virando outra forma de expressar minha vida. Menos factual e, portanto, menos constante. Mas fotografar continua sendo um dos grandes prazeres que tenho. Nos últimos tempos algumas fotografias minhas foram parar em outros lugares para além do meu flickr e do blog.




O motivo pelo qual eu fui à abertura da exposição da coleção de fotografia contemporânea da Telefônica é que uma foto minha está no site educativo da exposição. Embora seja pensado para professores que quiserem abordar ou saber mais sobre o assunto, achei bastante recomendável para qualquer pessoa que se interesse pelas origens, técnicas e elementos da fotografia.



Depois de aparecer no Don't touch my moleskine, as demonstrações públicas de amor que fotografei nas ruas de Tigre, Montevidéu e Buenos Aires ganharam destaque num suplemento do jornal argentino Clarín chamado (só com as que tirei na capital argentina). O repórter ainda tira um sarro de mim falando que estou aproveitando uma pequena fama 2.0. Só não deixou claro como tô aproveitando, porque, ó, nem eu sabia que essa fama existia.




A foto eu tirei em 2008, depois de assistir ao filme Um cão andaluz, do Buñuel com o Dalí (o vídeo está disponível no youtube). É impressionante como o surrealismo é posto em ação, fora das artes visuais, com novas experiências cinematográficas na década de 1920. Quando o vi pela primeira vez, fiquei maravilhada com a importância que o cinema não falado dá para os olhares em cena. A imagem acima é a primeira versão do pôster de um festival de cinema-sonoro que acontecerá em Colônia, na Alemanha. Está escrito: Sem palavras. Silêncio em filmes-sonoros. Mais pra baixo tem os nomes dos diretores cujos filmes serão exibidos (Claude Faraldo, Jos Stelling, Jan Svankmajer, György Pálfi, Bady Minck e Marat Magambetow) e a organização de Gibral Nadir, na programação da cologne contemporary international art bienalle 08.
Pra terminar, mas ainda falando de fotografia, amanhã é dia de buscar filme no laboratório de revelação. Sempre um dia de ansiedade e tensão para a patotinha da fotografia analógica (sobretudo para os membros que já queimaram muitos filmes na vida).

10 comentários:

  1. Babi, você tem muito talento e sempre gostei muito das suas fotos. Elas têm expressão! E é sempre muito bom ser reconhecido por nossos talentos. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Geeeente, mas tá muito chique essa menina!

    Tudo isso é merecidíssimo - é muito talento, muita sensibilidade, muita cor, muita expressão! Tudo isso tem mais é que explodir pro mundo mesmo.

    Parabéééns!

    ResponderExcluir
  3. Dia de revelação é sempre tão emocionante, né? Sou pessimista e sempre acho que queimou tudo, fico tensa, mas no final sempre (ou quase sempre) dá tudo certo.

    Parabéns pelos muitos destaques! Adorei as fotos das demonstrações públicas de amor!


    Camila Faria

    ResponderExcluir
  4. É de se esperar que o seu trabalho vá desbravar mundo afora. Adoro suas fotos e como você conta essa seu mundo.

    ResponderExcluir
  5. vc vai longe, Babi !

    :o)

    ResponderExcluir
  6. Ah, que sucesso e que orgulho das suas fotografias!
    São realmente muito boa e merecem destaque.
    Parabéns!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Que linda:) Tbém acho que você vai longe... Isso, com a prática e fazendo o que gostamos as chances de sucesso são maiores...

    Tudo de bom pra vc o/

    beijos

    ResponderExcluir
  8. Tenho uma Holga e sempre fico bem doida quando vou buscar os filmes no laboratório. Não sou muito boa em tirar fotos, especialmente com a Holga pois não gosto de ficar tirando várias fotos com ela, já que uso um filme que não consigo comprar na minha cidade e tento economizar, mas às vezes sai alguma coisa legal.
    Adorei as demonstrações públicas de amor que tu encontrou. Ficaram lindas. Parabéns.

    ResponderExcluir
  9. suas fotos são realmente lindas :)

    ResponderExcluir
  10. Que bacana o seu talento ser reconhecido assim, pois você realmente merece, adoro o olhar que tem para fotos.

    Bisous.

    ResponderExcluir