sábado, 29 de maio de 2010

the lover



A mulher da minha vida nessa semana foi Marguerite Duras. Terminei de ler O amante na terça-feira e fiquei fascinada. O livro, eu comprei pela capa. Dia desses cheguei na faculdade, e uma banquinha havia se materializado ali. Indicava livros da Cosac Naify a partir de 10 reais. Posso dizer que é um tipo de oportunidade única. Uma vez ao ano, acontece por ali uma feira de livros em que as editoras vendem com 50% de desconto. A da Cosac Naify é a mais disputada, porque suas edições são bonitas e especialmente caras. O sonho ainda é conseguirmos 50% de desconto da Companhia das Letras também...

Parei na banquinha, estava sem dinheiro. Ia só separar mentalmente algo de que gostasse e compraria no dia seguinte. Mas achei O amante, último exemplar. O homem disse que não podia reservar para o dia seguinte. O livro faz parte de uma coleção de mulheres modernistas, da qual eu já tinha os Contos completos, de Virginia Wolf. Um amigo acabou me emprestando dez reais e comprei. No dia seguinte, comprei Leocádio, o leão que mandava bala para o Caio e De Delacroix a David para mim. Leocádio eu li enquanto esperava a aula do Caio acabar. É um livro infantil (estava em dúvida entre esse, A árvore generosa e O livro inclinado. meu colega de trabalho disse que esse era o melhor e, em comparação ao A árvore generosa, que é do mesmo autor, é mesmo).



Sobre O amante, então. Escrito na velhice de Marguerite Duras, o livro é de uma visualidade impressionante. É possível construir mentalmente suas cenas. É possível entender a alma de seus personagens, sobretudo a personagem principal que parece ser a própria Marguerite. Às vezes tratada na primeira, às vezes tratada na terceira pessoa. O amor escorre pelas páginas de modo sutil, parece percorrer seu corpo quando se encontra com seu amante chinês. Mas nunca o explicita, nunca dissera isso a ele.




Quando comecei a lê-lo, grifei algumas passagens. Mas se fosse grifar tudo o que me encantava ou me traduzia, teria que fazê-lo vorazmente por todo o livro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário