segunda-feira, 3 de maio de 2010

a beleza de Clarice

Na época de colégio, tive um professor de física do qual não gostava. Com uma aura hedonista, ele tinha a cabeça muito menor do que seus músculos. Não que isso seja uma metáfora ou uma crítica a todos os que malham compulsivamente. O que me incomodava não era sua aparência desproporcional, mas o seu jeito de tentar ensinar valorizando sua própria imagem. Muitas vezes, ele começava a pular ou fazer exercícios físicos sem um motivo muito claro para explicar eletroestática.

Eu poderia deixá-lo passar pela minha vida sem muito esforço, ignorando seus comentários muitas vezes machistas e homofóbicos. Mas houve um dia que foi decisivo para a opinião que eu levaria dele. Anotou a matéria na lousa e deixou-nos copiando. Eu devia estar de cócoras na minha carteira (eu sentava no fundo, mas sou baixinha e não enxergava a lousa direito. Peguei mania de me sentar estranho, até porque as carteiras escolares eram um cúmulo de desconforto, nas quais eu passava quatro horas 'sentada'). O professor se aproximou da minha patota e começou a conversar com os meus amigos. Por algum motivo, alguém falou sobre Clarice Lispector. Ele disse não gostar do que ela escreve. O que eu achei natural, porque pode-se gostar ou não de um tipo de literatura. O que me incomodou foi o comentário seguinte. "E, além do mais, ela é feia". Acho que morri um pouco, ignorei os elétrons loucos da lousa e fiquei quieta.


Clarice é das mulheres mais lindas que já passaram pela minha vida. Sua fisionomia traz tanto dela mesma, sua "clandestina felicidade", seu "coração selvagem", sua literatura. Sua obra é dessas que me afundam de um jeito tão belo! É como ouvir Billie Holliday ou ler Virginia Woolf ou ver um quadro da Frida. É se afogar pelos sentidos em uma profunda melancolia. Que não é triste e jamais seria feia.


Terminei a leitura de Água viva semana passada. São poucas páginas, mas muito intenso. O livro é escrito em fluxo de pensamento e traz um pouco de uma história de amor. Mas não é uma história, são só pensamentos. Clarice é fraca e forte demais para mim. Clarice é bela.


"Gosto é das pessoas um pouco feias e ao mesmo tempo harmoniosas", pág 64.


(entrevista dela para a Tv Cultura na década de 70: aqui)

3 comentários:

  1. Sem a menor preocupação de agradar, digo com sinceridade e certeza: Clarice é a melhor autora nacional. Embora não nascida no Brasil, não foi superada por nenhuma outra escrivinhadora.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, mas que ogro esse seu professor! Clarice é maravilhosa!

    ResponderExcluir
  3. clarice é daquelas que a gente sente que conhece e quer ficar amiga. bonita por dentro e por fora. ;)

    ResponderExcluir