sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

a good head and a good heart are always a formidable combination*

* Nelson Mandela. Long walk to freedom, 1995.

invictus

Aos 18 anos me apaixonei pela África do Sul.
Meu primeiro carimbo no passaporte indicava que eu entrava naquele país em dezembro de 2008, para passar um mês do qual me recordo com um gostoso saudosismo. Eu poderia ter escolhido outro país, algo "Primeiro mundo" diriam, mas não fazia sentido para mim. Gosto de cores!, e a África do Sul que se mostrava com cores exuberantes e a Cidade do Cabo com praia, pinguins e um dos céus mais azuis do mundo era um destino que me maravilhava. A história recente da nação era um capítulo a parte.

me and madiba

Hoje fui assistir a "Invictus", do Clint Eastwood, com Matt Damon e o Morgan Freeman no papel do Madiba (a.k.a. Nelson Mandela). Senti desde o começo vontade de chorar, e não acho que seria assim com todos. É que para mim as primeiras cenas - e todas as outras - remetiam a um passado recente, às minhas descobertas sozinha num continente diferente, num país com 11 línguas oficiais e que foi por anos separado por cores de pele.

cape of the best hope

Uma das primeiras perguntas que fiz a um dos professores de inglês que tive naquele mês foi o que representa a figura do Mandela na África do Sul de hoje. Tive receio de que todas as referências a ele que encontrei no meu caminho - do Aeroporto de Johannesburgo a um muro no centro da Cidade do Cabo - fossem atrativos turísticos. O professor, cuja cédula de identidade marcava um "coloure" (embora seus irmãos tivessem recebidos outras designações como "black" e "unknown"), respondeu que o Mandela é ainda hoje um símbolo muito forte para o país. Os jovens podem se afastar da política, mas reconhecem a importância da luta contra o apartheid que chegaria ao fim com a eleição de Nelson Mandela.

portrait #4

É preciso lembrar que Mandela é um político e exerceu essa função, não sendo, portanto, unânime o tempo inteiro.

camps bay

Ah! Sobre o filme? Clint Eastwood me cansou um pouco em "Menina de Ouro", mas me surpreendeu com "Gran Torino". "Invictus" é forte e, sim, cheio de clichês (como dizia a crítica nos jornais). É muito difícil para mim separar a minha ligação com Robben Island do que é mostrado no filme, mas, como na maior parte dos filmes desse diretor, há um forte apelo moral e talvez por isso bastante reflexivo. O governo da África do Sul teve e ainda tem que lutar contra um racismo revanchista e o filme me parece ser a luta do Mandela contra essa atitude. Muitas vezes colocado como um sábio, Madiba também tem uma face humana. No entanto, quem quer saber sobre a história de vida dele, deve ler "Long walk to freedom", porque o filme mesmo é sobre a Copa do Mundo de Rugby, de 1995, e da qual a África do Sul foi sede.

Aliás, a primeira cena indica o dia 11 de fevereiro de 1990, quando Mandela foi libertado. Isto é, há 20 anos.

8 comentários:

  1. Tanto por causa da data (precisamente 20 anos de libertação do Madiba) como pela sua memória afetiva em relação à África do Sul, por que você acha que eu tinha em mente assistir a esse filme? Valeu cada cena, cada segundo, cada referência. Que bom que você gostou!

    ResponderExcluir
  2. Não tive essa relação tão pessoal com o filme Invictus, mas é, sem dúvida, um bom filme do Clint Eastwood e Morgan Freeman incorporou o Mandela de forma extraordinária.

    ResponderExcluir
  3. Eu sei só o básico sobre o tema, mas, é incontestável a importância que ele teve no séc XX e pra frente. Ansiosa pela Copa, espero que ela venha provar novas coisas boas sobre a África do Sul para o resto do mundo!

    ResponderExcluir
  4. onde você ficou na África do Sul? a sogra morava em Belleville (acho que é assim que se pronuncia?). Antes morou numa fazenda que plantava uvas, mas não lembro o nome do lugar. Queria visitar, mas não está, por enquanto, no topo da lista.

    ResponderExcluir
  5. Lolla, eu fiquei na Cidade do Cabo, extremo sudoeste. Mas cheguei até Stellenbosch, que deve ser onde sua sogra morou, porque é a região das wine farms.

    queria tanto voltar pra lá, nem te conto. :~

    ResponderExcluir
  6. Poxa, que legal! Chega a ser surpreendente alguém que não escolhe a Europa como primeira viagem internacional (e me incluo nessa ok). Não chego a ter paixão, mas não posso dizer que não desejo conhecer, porque tenho vontade sim...

    Provavelmente vou gostar do filme, Clint sempre me agrada.

    ResponderExcluir
  7. Agora fiquei com mais vontade de assistir :)
    Acho legal você ter escolhido a África do Sul! Sério. Acho que todo mundo deveria sair mais do roteiro comum EUA-Europa. Se bem que eu queria poder fazer todos eles :D haha

    ResponderExcluir