segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Snapping her fingers and shuffling on her feet.

voar

Dancei. Sábado eu dancei a noite inteira, com um pequeno intervalo quando as músicas pararam um pouco de me animar (e, confesso, estava com algum sono...). A casa estava com o ar condicionado ligado e eu resolvi tomar um refrigerante. O problema é que a bebida gelada com o ar condicionado ligado me deu um arrepio e um frio que só curei dançando mais. Bebida alcoólica me dá sono. Sem chance para quem pretendia ficar lá dentro até as 5h da manhã, no mínimo.

Dançar deve ser como escrever. Cada pessoa tem uma grafia e incorpora traços de outras pessoas - seja o "T" estranho de professora de primário, um "f" de um colega, uma inclinação mais acentuada de algum parente. Dançar deve ser assim: cada um tem seu estilo próprio, ao qual incorpora uns passinhos. Eu danço de um jeito muito estranho, imagino. Nunca me vi no meio das pessoas dançando e acho que elas mesmas não se vêem na maior parte das vezes. Dançar é algo que particulariza as pessoas e não vejo problema no rock'n roll que separou os casaisinhos. Eu danço de um jeito estranho, do meu próprio jeito, e que poucos devem reparar.

Dancei até sentir cãimbra no pé. Esperei um pouco até os dedos se desgrudarem, haha, e voltei a dançar. E voltei com esta música na cabeça:


Before I knew it she was walking next to me
Singing do a diddy diddy dumb diddy do
Rolling my head just as natural as can be
Singing do a diddy diddy dumb diddy do

(a música está na trilha sonora de Aconteceu em Woodstock, do Ang Lee)

6 comentários:

  1. Faz tempo que eu não danço tanto assim...

    ResponderExcluir
  2. Adorei a comparação com a letra! Realmente, dançar é bem isso mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Não importa a música, o fato é que eu danço muito mal!

    ResponderExcluir
  4. a comparação com a letra foi, realmente, a melhor parte do texto. eu acho que danço bem. deve ser pq nunca me vi dançando.

    ResponderExcluir