17.12.14

verde perto


Num desses bares da vida, encontrei Cayo e respondi à pergunta sobre como vai minha vida. Como comentário do interlocutor, ouvi um "você tem muita sorte!". Não discordei no ato, e passaram-se alguns dias até que eu pudesse concordar de fato: pouco tempo depois recebi o e-mail de que tinha sido selecionada pelo programa Composta São Paulo. Isso significa dizer que minha casa é uma das duas mil residências que receberam composteira recheada com minhocas californianas na cidade de São Paulo, em um incentivo ao plantio urbano e à redução de resíduos jogados no lixo. Todos os dias, aqui em casa, alimentamos os bichinhos com os restos de comidas cruas (vegetais, frutas, legumes). A umidade dentro da caixa é controlada com serragem e essa é a parte mais difícil do rolê, encontrar matéria orgânica seca. O melhor momento desse tempo em que as minhocas estão se reproduzindo no quintal foi a primeira vez em que tirei os litros de chorume do fundo da composteira. Para quem não sabe, o processo todo da compostagem leva à produção de biofertilizantes: o líquido e o sólido, que vão para outros vasos e dão alegria às plantas. Ainda não tirei o sólido da minha composteira, mas o líquido já vem nutrindo as plantinhas tudo na horta.






Esse post precisa ser dedicado ao Gui, que é o padrinho dos meus vegetais, fornecendo sementes, mudas e me ajudando a combater minha crassa ignorância botânica. Além disso, há um tempo, para combater as larvas esquisitas que andavam pela composteira, errei na aplicação do repelente de Neem (um concentrado que ajuda a combater espécies de insetos que possam infestar o microambiente criado ali) e pensei que tinha matado as minhocas. Sofri e me julguei uma péssima mãe de anelídeos. Gui logo se ofereceu a me ajudar com repovoar a composteira, mas todos respiramos aliviados quando as minhocas se mostraram grandes sobreviventes desse jogo chamado Bárbara-esqueceu-de-diluir-o-Neem-e-aplicar-apenas-nas-paredes-da-composteira. (Abaixo, nota-se a alegria da suculenta com as doses de biofertilizante produzido pelas minhocas que vem recebendo)
 

8.12.14

exibição


















Ficha técnica


Título original: Exhibition
Ano: 2013
Direção: Joanna Hogg

3.12.14

há fronteiras no jardim da razão


Se a viagem para a Ilha do Cardoso fosse um livro, estas fotos comporiam o prefácio, mencionando as características principais de cada personagem e criando um verdadeiro tratado sobre a ideia de boas companhias. (Aqui, estrelam Lucas, Stephanie, eu, Rafael e Tamara; os sujeitos ocultos são David e Marina).




24.11.14

imagens sem nome

Untitled
"XIX

O rio que fazia uma volta atrás da nossa casa era a 
 imagem de um vidro mole que fazia uma volta atrás
de casa.
Passou um homem e disse: Essa volta que o 
rio faz se chama enseada.
Não era mais a imagem de uma cobra de vidro que
fazia uma volta atrás da casa.
Era uma enseada.
Acho que o nome empobreceu a imagem." 

Manoel de Barros, de O livro das ignorãças.

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Untitled

Isso foi em setembro, na quermesse da festa da padroeira de Paraty. 

10.11.14

estava à toa na vida


Gilberto Gil  // Glow in the dark com Dave Rowntree // Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou + Seun Kuti & Egypt 80 // Tributo a Chico Buarque













♫ Arcade Fire - You Already Know